Regulamento - Downhill Speed


1. DOWNHILL SPEED (SKATE – STREET LUGE – CLASSIC LUGE – STREET SLED)

2. INTRODUÇÃO

2.1. ESTE DOCUMENTO VISA REGULAMENTAR E DIVULGAR A MODALIDADE DOWNHILL NO BRASIL. COM ESTE DOCUMENTO PRETENDEMOS PADRONIZAR OS EVENTOS REALIZADOS EM TERRITÓRIO NACIONAL E OFICIALIZÁ-LOS JUNTO A CBSK, CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE SKATE.

3. LEGITIMIDADE

3.1. MUDANÇA DE REGULAMENTO: O ATLETA NÃO PODE EM HIPÓTESE ALGUMA MUDAR O REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO. 

4. PATROCINADORES: A CBSK RESERVA-SE NO DIREITO DE RECUSAR OU RESTRINGIR QUALQUER PATROCINADOR POR QUALQUER RAZÃO, ALÉM DE RESERVA-SE AO DIREITO DE RECUSAR OU RESTRINGIR A PARTICIPAÇÃO DE QUALQUER ATLETA EM QUALQUER EVENTO SE A CBSK ENTENDER QUE O ANUNCIANTE OU PATROCINADOR DO ATLETA SÃO OU PODEM SER PREJUDICIAIS AOS INTERESSES DA CBSK OU DO PROMOTOR DO EVENTO.

5. O NÚMERO DE CATEGORIAS E MODALIDADES EM QUE O ATLETA PODERÁ SE INSCREVER, FICARÁ A CRITÉRIO DO ORGANIZADOR DO EVENTO, OBEDECENDO O REGULAMENTO DA CBSK.

6. NO CASO DE MENORES DE 18 ANOS, OS PAIS OU GUARDIÃO LEGAL DEVEM ASSINAR O TERMO DE RESPONSABILIDADE RECONHECER FIRMA E ENTREGAR NO DIA DO EVENTO.NA IMPOSSIBILIDADE EM O MENOR ESTAR ACOMPANHADO PELO PAI OU GUARDIÃO LEGAL NO DIA DO EVENTO, UM ACOMPANHANTE MAIOR DE IDADE DEVERÁ SER DESIGNANDO PARA ACOMPANHAR O MENOR NO DIA DO EVENTO. O ACOMPANHANTE DEVERÁ ASSINAR O TERMO DE RESPONSABILIDADE E RECONHECER FIRMA ASSIM COMO O PAI OU RESPONSÁVEL (OBRIGATÓRIO). 

9. DOWNHILL SKATEBOARD, STREETLUGE, CLASSIC LUGE, STREET SLED

9.1. EQUIPE DE TRABALHO

9.1.1. DIRETOR DE PROVA: REPRESENTANTE OFICIAL DE QUALQUER EVENTO SANCIONADO PELA CBSK COM TOTAIS PODERES DE DESQUALIFICAÇÃO EM CASO DE VIOLAÇÃO DE ALGUM REGULAMENTO. ESTÁ ENCARREGADO DE COORDENAR TODA A EQUIPE TÉCNICA. SERÁ O RESPONSÁVEL TAMBÉM POR VERIFICAR ANTECIPADAMENTE O CUMPRIMENTO POR PARTE DO PROMOTOR DO EVENTO DAS OBRIGAÇÕES ACORDADAS ATRAVÉS DO CADERNO PARA HOMOLOGAÇÃO DE EVENTOS DA CBSK.

9.1.3. COORDENADOR DA ÁREA DE COMPETIÇÃO: DEVERÁ SER O RESPONSÁVEL POR TODOS OS COMPETIDORES NA PISTA. TEM COMO FUNÇÃO MANTER A ÁREA DE COMPETIÇÃO TOTALMENTE LIVRE. TEM TOTAL PODER DE DESQUALIFICAÇÃO EM CASO DE VIOLAÇÃO DE ALGUM REGULAMENTO. COORDENA OS FISCAIS E COMUNICA AO DIRETOR DE PROVA E SE FOR O CASO, DE FORMA ESCRITA, AO COMITÊ DOS ATLETAS PROFISSIONAIS DA CBSK QUALQUER PROBLEMA OU INFRAÇÃO DOS OS ATLETAS DURANTE O PERCURSO. NO CASO DA FALTA DESTE COORDENADOR O DIRETOR DE PROVA ASSUMIRÁ AS FUNÇÕES DESTE COORDENADOR.

9.1.4. COORDENADOR DE LARGADA: TEM TOTAL COMANDO DA ÁREA DE LARGADA E SEUS COMANDOS DEVEM SER OBEDECIDOS SEM EXCEÇÃO. VERIFICA POSSÍVEIS QUEIMADAS DE LARGADA E A BOA COLOCAÇÃO DOS CAPACETES.

BANDEIRAS E REGULAMENTOS UTILIZADOS NA LADEIRA.

10. OS FISCAIS DE PISTA DEVERÃO FICAR ATENTOS A QUAQUER INFRAÇÃO DOS ATLETAS DURANTE O PERCUSO E SE NECESSÁRIO REPORTAR AO COORDENADOR DA PROVA QUALQUER OCORRIDO. EM CASO DE ACIDENTE GRAVE EM QUE O ENVOLVIDOS NÃO TENHAM POSSIBILIDADE DE LIBERAR A PISTA A BANDEIRA VERMELHA DEVE SER LEVANTADA VISIVELMENTE PARA QUE OS DEMAIS ATLETAS POSSAM VISUALIzAR E PARAR COMPLETAMENTE O SKATE. A BANDEIRA AMARELA DEVE SER LEVANTA PARA COMUNICAR UMA SITUAÇÃO NA PISTA, POREM SINALIzA TAMBEM QUE A PISTA ESTÁ LIVRE DE PERIGO MAS NÃO ESTÁ EM CONDIÇÃO NORMAL. A BANDEIRA VERDE DEVE SER SINALIzADA CONSTANTEMENTE QUANDO A PISTA ESTIVER EM CONDIÇÃO NORMAL.

11.1.4. COORDENADOR DE CHEGADA: SEGUE OS COMANDOS DO DIRETOR DE PROVA. COORDENA A CHEGADA DOS ATLETAS E OS JUÍZES DE LINHA DA CHEGADA. RECEBE OS POSSÍVEIS PROTESTOS DOS ATLETAS E O REPASSA AO COORDENADOR DA ÁREA DE COMPETIÇÃO.

12. SEGURANÇA

12.1.3. EMERGENCIA MÉDICA: UMA EQUIPE QUALIFICADA PARA O ATENDIMENTO EQUIPADA PARA OS PRIMEIROS SOCORROS ESTARÁ PRESENTE DURANTE TODO O EVENTO.

12.1.4. BARREIRAS DE PROTEÇÃO: NÃO SERÁ PERMITIDO NENHUMA PESSOA, COORDENADORES OU OUTROS NA ÁREA DE COMPETIÇÃO DURANTE A CONDIÇÃO DE BANDEIRA VERDE.

12.2.EQUIPEMANTOS DE PROTEÇÃO.

12.2.1. CAPACETES: TODOS OS CAPACETES UTILIZADOS EM EVENTOS SANCIONADOS PELA CBSK SÃO DO TIPO USADO PARA MOTOCICLETAS OU ESPORTES A MOTOR. O CAPACETE DEVE SEGUIR AS RECOMENDAÇÕES DO FABRICANTE. A PRESILHA DO CAPACETE DEVE SER PRESA E APERTADA CONFORME FOI DESENHADA. SEMEXCEÇÕES!!OS CAPACETES DEVERÃO COBRIR TODO O ROSTO E CONTER VISEIRA OU ÓCULOS DE PROTEÇÃO. NÃO SERÃO PERMITIDOS CAPACETES DE BICICLETA. NÃO SERÃO PERMITIDAS QUEIXEIRAS SEPARADAS. NENHUMA MODIFICAÇÃO PERMITIDA EXCETO PARA A VISEIRA.

12.2.2. MACACÕES: TODOS OS ATLETAS DEVERÃO TER UM MACACÃO DE COURO OU KEVLAR DE DUAS OU UMA PEÇA.NO CASO DE MACACÕES

DE DUAS PEÇAS AS MESMAS DEVERÃO ESTAR UNIDAS POR UM ZÍPER OU VELCRO ADESIVO NA ALTURA DA CINTURA.

12.2.3. SPEEDSUITS: NÃO SERÃO PERMITIDOS 

12.2.4. LUVAS: TODOS OS ATLETAS DEVERÃO TER LUVAS QUE CUBRAM TODOS OS DEDOS, FABRICADAS EM COURO OU COURO E KEVLAR. TODAS AS LUVAS FABRICADAS EM BORRACHA, ALGODÃO, ETC. DEVERÃO ESTAR POR CIMA DE UMA LUVA DE COURO OU DE COURO COM KEVLAR.

12.2.5. TÊNIS: OS TÊNIS DEVERÃO ESTAR EM BOM ESTADO E LAÇADOS OU PRESOS DA FORMA COMO FORAM DESENHADOS. OS TORNOZELOS DEVERÃO ESTAR BEM PROTEGIDOS CONTRA FERIMENTOS. TÊNIS DE CANO ALTO SÃO RECOMENDADOS.

12.2.6. COTOVELEIRAS E JOELHEIRAS: PROTEÇÃO ACOLCHOADA PARA OS JOELHOS E COTOVELOS SÃO RECOMENDADAS, MAS NÃO OBRIGATÓRIAS.

13. ESPECIFICAÇÕES

13.1.ESPECIFICAÇÕES STREET LUGE

13.1.1. ESTA CATEGORIA É PROJETADA PARA PERMITIR O MÁXIMO DE CRIATIVIDADE NOS PROJETOS COM O MÍNIMO DE RESTRIÇÕES. AS ÚNICAS RESTRIÇÕES FEITAS SÃO VISANDO A SEGURANÇA OU PARA MANTER O CONCEITO BÁSICO DE UM STREET LUGE. NO FUTURO QUALQUER RESTRIÇÃO PODERÁ SER ADICIONADA APENAS COM ESTE INTUITO. OS COMPETIDORES DEVEM ANDAR NA POSIÇÃO SUPINA (DEITADO DE COSTAS) COM OS PÉS PARA A FRENTE. FICAR DE PÉ OU DE BARRIGA PARA BAIXO COM A CABEÇA PARA A FRENTE É PROIBIDO.

13.1.2. CHASSIS: O CHASSI DEVE TER SUA PARTE ESTRUTURAL EM BOM ESTADO, NÃO PODENDO TER PONTAS OU BORDAS QUE COLOQUE SEU OPONENTE EM RISCO. A ESTABILIDADE ESTRUTURAL PODE SER DEMONSTRADA COM UM TESTE ONDE O INSPETOR TÉCNICO SALTARIA SOBRE O LUGE OU QUALQUER OUTRA SIMULAÇÃO DE STRESS QUE PODERIA IMITAR AS CIRCUNSTÂNCIAS DA CORRIDA. NENHUMA PARTE DO LUGE PODE ENCOBRIR O CORPO DO ATLETA OU IMPEDI-LO DE FREAR. NADA PODE ESTAR ENTRE OS PÉS DO ATLETA. O COORDENADOR DA ÁREA DE COMPETIÇÃO FARÁ O JULGAMENTO FINAL SOBRE A LEGALIDADE. É NECESSÁRIO QUE O COMPETIDOR ESTEJA POSICIONADO DEITADO DE BARRIGA PARA CIMA COM SEUS PÉS VIRADOS PARA FRENTE.

13.1.3. PESO: O LUGE COMPLETO NÃO PODE EXCEDER VINTE E CINCO QUILOGRAMAS OU CINQUENTA E CINCO PONTO UM LIBRAS (25KG OU 55.1 LIBRAS). UMA TOLERÂNCIA DE 0,5 KG SERÁ DADA PARA VARIAÇÕES NA PRECISÃO DAS ESCALAS. 

13.1.4. COMPRIMENTO: O COMPRIMENTO MÁXIMO NÃO PODE EXCEDER OS TRÊS METROS OU DEZ PÉS (3M / 9,84’).

13.1.5. LARGURA: O LUGE TEM QUE TER NO MÁXIMO VINTE E QUATRO POLEGADAS OU SEISCENTOS E DEZ MILÍMETROS (24” OU 610MM) DE LARGURA.

13.1.6. PROTEÇÃO FRONTAL: A PROTEÇÃO FRONTAL É OBRIGATÓRIA E TEM QUE SER FEITO DE MODO QUE MINIMIZE OS RISCOS DE DANOS AO SEU OPONENTE EM CASO ACIDENTE. ELE TEM QUE SER FEITO DE MATERIAL MACIO, ESPUMA, PLÁSTICO OU QUALQUER OUTRO MATERIAL QUE ABSORVA O IMPACTO EM CASO DE CHOQUE COM OUTRO COMPETIDOR.AS DIMENSÕES MÍNIMAS DA PROTEÇÃO FRONTAL SÃO: SETENTA E SETE MILÍMETROS (77MM / 3 ") DE LARGURA, VINTE E SEIS MILÍMETROS (26MM / 1 ") DE ALTURA E TRINTA E NOVE MILÍMETROS (39MM / 1,5 ") DE ESPESSURA. TODAS AS SUPERFÍCIES AFIADAS OU PONTIAGUDAS QUE APRESENTEM RISCO DEVEM SER ACOLCHOADAS.

13.1.7. PROTEÇÃO TRASEIRA: A PROTEÇÃO TRASEIRA É OBRIGATÓRIA E TEM QUE SER FEITO DE MODO QUE MINIMIZE OS RISCOS DE DANOS AO SEU OPONENTE EM CASO ACIDENTE. ELE TEM QUE SER FEITO DE MATERIAL MACIO, ESPUMA, PLÁSTICO OU QUALQUER OUTRO MATERIAL QUE ABSORVA O IMPACTO EM CASO DE CHOQUE COM OUTRO COMPETIDOR.AS DIMENSÕES MÍNIMAS DA PROTEÇÃO FRONTAL SÃO: SETENTA E SETE MILÍMETROS (77MM / 3 ") DE LARGURA, VINTE E SEIS MILÍMETROS (26MM / 1 ") DE ALTURA E VINTE MILÍMETROS (20 MM /25/32") DE ESPESSURA.

13.1.8. CARROCERIAS E CARENAGENS: CARROCERIAS, CONES AERODINÂMICOS EM FRENTE AOS PÉS DO ATLETA E RABETAS AERODINÂMICAS ATRÁS DA CABEÇA DO ATLETA E CARENAGENS SÃO PERMITIDAS. SE O CONE AERODINÂMICO FOR UTILIZADO, ENTÃO DEVE TER OITO CENTÍMETROS (8CM / 3 3/16”) DE ÁREA PARA IMPACTOS EM FRENTE AO CHASSI. NENHUMA PARTE DO LUGE DEVE APRESENTAR PARTES QUE APRESENTEM RISCOS AOS SEUS OPONENTES, TODAS AS CARROCERIAS E CARENAGENS DEVERÃO SER CONSTRUÍDAS DE MANEIRA QUE MINIMIZEM MACHUCADOS E COLISÕES.

13.1.9. O EQUIPAMENTO DEVE SER PROJETADO DE MODO QUE NENHUM PERIGO ÓBVIO SEJA APRESENTADO PELA PERDA DA CARROCERIA E DAS CARENAGENS.

13.1.10. TRUCKS: OS TRUCKS PODEM SER COMERCIAIS OU DE FABRICAÇÃO PRÓPRIA. OS TRUCKS PODEM EXCEDER A PARTE MAIS LARGA DO LUGE EM NO MÁXIMO SESSENTA E UM CENTÍMETROS (61CM / 24”), TENDO COMO MEDIDA AS EXTREMIDADES DOS TRUCKS. OS TRUCKS NÃO PODEM PROJETAR-SE MAIS QUE A BORDA DA RODA.

13.1.11. ROLAMENTOS: SEM RESTRIÇÕES.

13.1.12. RODAS: UM MÍNIMO DE QUATRO (4) RODAS DEVEM ESTAR EM CONTATO COM O SOLO. AS RODAS DEVEM TER DIÂMETRO MÁXIMO DE CENTO E TRINTA MILÍMETROS (130MM / 5 1/8").

13.1.13. FREIOS: QUALQUER FRENAGEM DEVE SER FEITA COM O USO DOS PÉS. NÃO É PERMITIDO NENHUMA ESPÉCIE DE FREIO MECÂNICO.

13.1.14. ÁREA PARA NUMERAÇÃO: DEVERÁ SER USADA A NUMERAÇÃO FORNECIDA PELA ORGANIZAÇÃO. POR FAVOR, NÃO COLOQUE NENHUM PATROCINADOR SOBRE O NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO, VOCÊ PODE SER DESCLASSIFICADO DO EVENTO.

13.1.15. LASTROS: QUALQUER ADIÇÃO DE PESO DEVERÁ SER PRESA SEGURAMENTE NO CHASSI. CARREGAR LASTROS NO CORPO DO ATLETA É ESTRITAMENTE PROIBIDO. FITAS, CORDAS, TIRAS E OUTRAS COISAS DO GÊNERO SÃO PROIBIDAS PARA PRENDER OS LASTROS NO LUGE. OS LASTROS DEVEM SER PRESOS COM PARAFUSOS E PORCAS DE PRESSÃO. O INSPETOR TÉCNICO CUIDARÁ PARA QUE ESTA EXIGÊNCIA SEJA CUMPRIDA.

13.1.17. POSIÇÃO INICIAL DOS COMPETIDORES: DURANTE O PROCEDIMENTO DE INÍCIO PARA PROVA E QUALIFICAÇÃO, O COMPETIDOR DEVE ESTAR SENTADO E REMAR COM SEUS BRAÇOS E MÃOS. O COMPETIDOR DEVE ESTAR COM OS DOIS PÉS E O EQUIPAMENTO ATRÁS DA LINHA DELARGADA.TODAS AS RODAS DEVEM ESTAR NO CHÃO AO LARGAR.

13.3.ESPECIFICAÇÕES STREET SLED

13.3.1. SOBRE O STREET SLED: TODO SLED DEVE SER CONSTRUÍDO DE MODO A OFERECER SEGURANÇA AO PILOTO E SEUS ADVERSÁRIOS, NÃO PODENDO CONTER OBJETOS PONTIAGUDOS OU CORTANTES, NEM ESTRUTURAS QUE POSSAM TORNAR- SE PERIGOSAS EM CASO DE ACIDENTE. TODOS OS ELEMENTOS DEVEM ESTAR DEVIDAMENTE BEM FIXADOS NO CHASSI (SHAPE).

 

13.3.2. OS SLEDS SERÃO INSPECIONADOS PELA EQUIPE COMPETENTE INDICADA PELA CBSK E OU COMISSÃO ORGANIZADORA QUE IRÁ APROVÁLOS DENTRO DOS PADRÕES ESPECÍFICOS DE CADA CATEGORIA E SEGURANÇA, CASO NÃO APTO O PARTICIPANTE PODERÁ FAZER A REGULARIZAÇÃO PARA ADEQUAR A NORMA, NÃO SENDO POSSÍVEL A REGULARIZAÇÃO SERÁ VETADO A SUA PARTICIPAÇÃO.

13.3.3. CHASSIS: (SHAPE): DEVE SER SÓLIDO, COM UM TAMANHO DE ACORDO COM A ESTATURA DO PILOTO. EM CASO DE SLED DE MADEIRA, A ESPESSURA MÍNIMA É DE 15 MM. COMPRIMENTO DE 90 A 150 CM, E LARGURA DE 30 CM A 70 CM. AS ASAS DE SEGURANÇA, COM A FINALIDADE DE EVITAR QUE O PILOTO SAIA DE CIMA DO SHAPE DEVE SER LATERAIS, UMA DE CADA LADO DO CORPO. É NECESSÁRIO QUE O COMPETIDOR ESTEJA POSICIONADO DEITADO DE BARRIGA PARA BAIXO COM SEUS PÉS VIRADOS PARA TRÁS.

13.3.4. EIXOS: DEVEM SER DE FERRO (AÇO) MACIÇO DE NO MÍNIMO 12 MM DE ESPESSURA E SEU TAMANHO NÃO PODE ULTRAPASSAR OS 70CM DE LARGURA, MEDIDO COM AS RODAS MONTADAS E POR FORA DESSAS, NÃO PRECISANDO SER NECESSARIAMENTE FABRICADO EM PEÇA ÚNICA, PODENDO NO CASO SER UTILIZADOS EIXOS BI PARTIDOS, ROLETADOS OU BALANCINS (TRUCKS);

13.3.5. FREIOS: DEVEM SER EFICAZES EM SUA FRENAGEM PODENDO SER ACIONADOS ATRAVÉS DE MANETES NO EIXO DIANTEIRO OU PLACAS DE BORRACHA NOS COTOVELOS DO MACACÃO DO PILOTO.

13.3.6. RODAS: ESTAS TERÃO O TAMANHO MÍNIMO DE 65MM E O MÁXIMO DE 120MM, COM UMA ÁREA DE CONTATO COM O SOLO MÍNIMA DE 35MM E QUE SE UTILIZEM DE ROLAMENTOS COM AS ESPECIFICAÇÕES 608 OU 610 (ROLAMENTOS COMERCIAIS PARA SKATE).

13.3.7. PARA A CATEGORIA STREET SLED PODERÃO SER UTILIZADAS UM MÍNIMO DE QUATRO E UM MÁXIMO DE OITO RODAS POR SLED.

13.3.8. PESO MÁXIMO DO STREET SLED É DE 25 KG COM TOLERÂNCIA DE 0,5 KG PARA O SLED EM CONDIÇÕES DE COMPETIR, OU SEJA, DOTADO DE RODAS E ROLAMENTOS.

13.3.9. O EQUIPAMENTO QUE NÃO ATINJA O PESO MÁXIMO DA CATEGORIA STREET SLED PODERÁ ALCANÇÁ-LO POR MEIO DE LASTROS, DEVENDO ESTES ESTAR FIXADOS AO SHAPE POR MEIO DE PARAFUSOS OU SOLDAS, FICANDO VETADO O USO DE VELCRO, FITAS ADESIVAS OU QUALQUER OUTRO MEIO DE FIXAÇÃO. O USO DE LASTRO PRESO AO CORPO TAMBÉM É PROIBIDO

13.3.10. SOBRE A LARGADA: A PARTIR DA LINHA DE LARGADA TODO ATLETA TEM LIBERDADE PARA SE IMPULSIONAR COMO DESEJAR, LIVRE DE OUTRAS REGRAS, NO “CAVALO LOUCO”. PODENDO SER TAMBÉM, A CRITÉRIO DO ORGANIZADOR, NO ESTILO RAMPA OU CAVALO LOUCO MANTENDO A POSIÇÃO DURANTE A PROVA DE BRUÇOS COM A CABEÇA PARA FRENTE.

13.4.ESPECIFICAÇÕES DOWNHILL SKATEBOARD

13.4.1. DECK: OS DECKS DEVEM ESTAR ESTRUTURALMENTE ESTÁVEIS E NÃO PODEM TER PONTAS OU QUALQUER OUTRO COMPONENTE QUE COLOQUE EM RISCO O SEU OPONENTE.

13.4.2. PESO: O SKATE COMPLETO NÃO PODE EXCEDER CINCO QUILOGRAMAS (5KG).

13.4.3. COMPRIMENTO: O COMPRIMENTO MÁXIMO É DE CINQUENTA E CINCO POLEGADAS OU CENTO E QUARENTA CENTÍMETROS (55” OU140CM).

13.4.4. LARGURA: LARGURA MÁXIMA DE DOZE POLEGADAS OU TREZENTOS E CINCO MILILITROS (12” OU 305MM).

13.4.5. TRUCKS: OS TRUCKS PODEM SER COMERCIAIS OU DE FABRICAÇÃO PRÓPRIA. NÃO PODEM EXCEDER DOZE POLEGADAS OU TREZENTOS E CINCO MILÍMETROS (12” OU 305MM) DE LARGURA. NÃO PODENDO HAVER A UTILIZAÇÃO DE MAIS DE UM PAR DE TRUCKS POR SKATE.

13.4.6. ROLAMENTOS: SEM RESTRIÇÕES

13.4.7. RODAS: AS QUATRO RODAS DO SKATE DEVEM ESTAR EM CONTATO COM O SOLO. AS RODAS DEVEM TER DIÂMETRO MÁXIMO DE CENTO E TRINTA MILÍMETROS (130 MM).

13.4.8. ÁREA PARA NUMERAÇÃO: DEVERÁ SER USADA A NUMERAÇÃO FORNECIDA PELA ORGANIZAÇÃO. POR FAVOR, NÃO COLOQUE NENHUM PATROCINADOR SOBRE O NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO, VOCÊ PODE SER DESCLASSIFICADO DO EVENTO.

14. PROCEDIMENTOS DE CORRIDA

14.1.1. TREINOS:OS ATLETAS TERÃO O DIREITO A NO MÍNIMO DUAS (2) DESCIDAS DE TREINO ANTES DAS QUALIFICAÇÕES.OS ATLETAS PODEM OPTAR POR DESCER MENOS DE DUAS VEZES.

14.1.2. QUALIFICAÇÕES: NESTA FASE ESTARÃO PRESENTES TODOS OS ATLETAS DE CADA CATEGORIA. OS ATLETAS TERÃO DIREITO A, NO MÍNIMO, DUAS (2) DESCIDAS INDIVIDUAIS PARA TOMADA DE TEMPO. ESSES TEMPOS SERÃO UTILIZADOS PARA TODAS AS OUTRAS FASES DO EVENTO INCLUSIVE PARA A CLASSIFICAÇÃO GERAL A PARTIR DO 9° COLOCADO.

14.1.3. sE A TOMADA DE TEMPO ELETRONICA NÃO FUNCIONAR O PROMOTOR DO EVENTO PODERÁ OPTAR POR REALIAR O SISTEMA RACE TO QUALIFY, MAS SE EM ULTIMO CASO ISSO NÃO OCORRER SERÃO CLASSIFICADOS DE ACORDO COM A ORDEM DE INSCRIÇÃO NO CAMPEONATO NA QUALIFICAÇÃO GERAL DA CATEGORIA.

14.1.4. BOX LARGADA PARA TOMADA DE TEMPO

14.1.4.1. O GRID DE LARGADA PARA TOMADA DE TEMPO, QUANDO ESTA FOR INDIVIDUAL, DEVERÁ TER UM METRO E MEIO 1,5 METROS DE COMPRIMENTO POR UM 1 M DE LARGURA.

14.1.4.2. O COMPETIDOR DEVERÁ PERMANECER DENTRO DESSAS QUATRO LINHAS, NÃO PODENDO ULTRAPASSAR NEM COM SEU EQUIPAMENTO NEM COM SEU CORPO. CASO ISTO ACONTEÇA, ELE DEVERÁ VOLTAR AO FINAL DA FILA E TENTAR NOVAMENTE SUA TOMADA DE TEMPO DENTRO DO TEMPO ESTABELECIDO PELA ORGANIZAÇÃO. 

14.1.4.3. O COMPETIDOR DEVERÁ AGUARDAR AUTORIZAÇÃO DO COORDENADOR DE LARGADA PARA DAR INÍCIO A SUA TOMADA DE TEMPO.

14.1.4.4. O COMPETIDOR NÃO TERÁ DIREITO A REALIZAR NOVAMENTE SUA TOMADA DE TEMPO, CASO OCORRA A QUEDA POR CULPA SUA OU DE SEU EQUIPAMENTO. MAS PODERÁ TERMINAR A MESMA TOMADA APÓS A QUEDA, CASO DESEJE.

14.1.5. CRONOMETRAGEM ELETRÔNICA: A QUALIFICAÇÃO DEVE OBRIGATORIAMENTE SER FEITA COM O SISTEMA DE CRONOMETRAGEM ELETRÔNICA. O SISTEMA DEVE TER UMA PRECISÃO DE MILÉSIMO DE SEGUNDOS (1/1000). SE MESMO COM ESTA PRECISÃO HOUVER UM EMPATE ENTRE DOIS OU MAIS ATLETAS, DEVERÁ SER UTILIZADO O SEGUNDO MELHOR TEMPO COMO CRITÉRIO DE DESEMPATE. SE NÃO TIVER HAVIDO DUAS DESCIDAS CLASSIFICATÓRIAS, O CRITÉRIO DE DESEMPATE SERÁ A COLOCAÇÃO DOS ATLETAS NO RANKING CORRENTE.

14.2.1.2. O COORDENADOR DE LARGADA DIRÁ," ATLETAS PRONTOS", NESTE MOMENTO O COORDENADOR DE LARGADA SE POSICIONARÁ ATRÁS DOS ATLETAS DA LINHA DE LARGADA, E TODOS OS ATLETAS NA LINHA DE LARGADA DEVERÃO FICAR IMÓVEIS, EM POSIÇÃO DE ARRANCADA, AGUARDANDO O SINAL SONORO EM SOM AUDÍVEL AOS COMPETIDORES, INDICANDO QUE PODEM COMEÇAR A CORRIDA.

14.2.1.3. O COORDENADOR DE LARGADA E O JUÍZ DE LINHA FICARAM ATENTOS A QUALQUER MOVIMENTO DOS ATLETAS JÁ POSICIONADOS PARA A LARGADA APÓS O COORDENADOR DE LARGADA DIZER "ATLETAS PRONTOS", QUALQUER MOVIMENTO SEJA DO EQUIPAMENTO " SKATE" OU PARTE DO "CORPO DO ATLETA", SERÁ CONSIDERADO COMO QUEIMA DE LARGADA, o ATLETA QUEIMAR A SEGUNDA VEz DA BATERIA SERÁ DESCLASSIFICADO, OS ATLETAS REMANESCENTES DEVERÃO ALINHAR-SE NOVAMENTE, E O PROCEDIMENTO DE LARGADA SE INICIARAM NOVAMENTE.

14.2.1.4. APÓS A LARGADA NENHUM ATLETA PODERÁ INTERFERIR NA LINHA DE RAIA DE OUTRO ATLETA POR (CINCO METROS 5M A PARTIR DA LINHA DE LARGADA, CASO ISSO ACONTEÇA O ATLETA SERÁ DESCLASSIFICADO.

14.2.1.5. "O TIPO DE SINAL SONORO A SER UTILIZADO PARA LARGADA SOMENTE PODERÁ SER ELETRÔNICO, JÁ EXISTENTES EM ALGUNS APLICATIVOS DE SMARTPHONE.

14.3. PROCEDIMENTOS DE CHEGADA: VENCE O ATLETA QUE PASSAR NO CASO DO SKATE E STREET SLED COM AS "RODAS" DIANTEIRAS DE SEU EQUIPAMENTO EM PRIMEIRO SOBRE A LINHA DE CHEGADA, E NO CASO DO STREET LUGE E CLASSIC LUGE, VENCE A COMPETIÇÃO O ATLETA QUE PASSAR EM PRIMEIRO LUGAR COM OS PÉS SOBRE A LINHA DE CHAGADA.

14.3.3. EMPATES: EM CASO DE EMPATE O COORDENADOR DA ÁREA DE COMPETIÇÃO DEVERÁ UTILIZAR O RECURSO DO PHOTO FINISH EQUIPAMENTO OBRIGATÓRIO EM CASO DE DÚVIDAS SOBRE O RESULTADO DO CHIP ELETRÔNICO OU SIMILAR(CÂMERA COM NO MÍNIMO SESSENTA FRAMES POR SEGUNDO), OU ENTÃO A TESTEMUNHA DO COORDENADOR DE CHEGADA.

14.4.JULGAMENTOS E INFRAÇÕES: TODAS AS PENALIDADES E INFRAÇÕES DEVERÃO SER COMUNICADAS IMEDIATAMENTE AO DIRETOR DE PROVA APÓS A BATERIA. ESTE É O ÚNICO MOMENTO EM QUE A RECLAMAÇÃO PODE SER FEITA. CASO O COMPETIDOR DEIXE A ÁREA E A FASE SEGUINTE SEJA INICIADA O COMPETIDOR PERDE O DIREITO DE FAZER SUA RECLAMAÇÃO.

14.4.1. QUALQUER COMPETIDOR QUE TIVER ALGUM PROTESTO DEVERÁ COMUNICAR A ESTRUTURA DE CHEGADA PARA QUE ESSA REPASSE PARA O DIRETOR DE PROVA. O COMPETIDOR DEVERÁ FICAR NA CHEGADA E AGUARDAR UMA OPORTUNIDADE DE FAZER SEU PROTESTO AO COORDENADOR DE CHEGADA, CASO NÃO FAÇA ISTO PERDERÁ A OPORTUNIDADE DE EFETUAR SUA RECLAMAÇÃO. TODAS AS DECISÕES REFERENTES A PENALIDADES E INFRAÇÕES SERÃO TOMADAS ANTES DA PRÓXIMA FASE PELO DIRETOR DE PROVA E PELOS FISCAIS.

14.4.2. NO CASO EM QUE A COMPETIÇÃO SE UTILIZA DO SISTEMA DE FILMAGENS, TRANSMISSÕES DE VÍDEO, FOTOS E VÍDEOS FEITOS POR TERCEIROS, O DIRETOR DE PROVA PODERÁ SE UTILIZAR DESSES RECURSOS PARA FAZER O SEU JULGAMENTO SOBRE O FATO ACONTECIDO.

LEI DE PROTEÇÃO AS POSIÇÕES.

Com a finalidade de proteger o atleta que está liderando a prova, qualquer movimento feito por quem está tentando realizar a ultrapassagem, não considerado seguro e que acabe por desequilibrar ou derrubar os demais atletas a até 100 metros da linha de chegada ou na curva final, que define a prova, as posições serão congeladas antes do acidente e serão mantidas como resultado final de cada bateria que houver esse tipo de incidente. ( essa curva final ou os 100metros finais devem obrigatoriamente ser filmadas pelos fiscais de prova).

Se caso o acidente ocorra entre o segundo e o terceiro, o primeiro lugar avança normalmente, a posição do segundo é mantida e o quarto lugar sobe para terceiro.

O atleta que causou o acidente deverá perder suas posições indo para ultimo na bateria podendo até sofrer uma penalidade na pontuação final.

14.5.ADIAMENTO OU CANCELAMENTO DE EVENTO:

14.5.1. EM CASO DE CONDIÇÕES EXTREMAS DE MAL TEMPO, CATÁSTROFES NATURAIS, ESCURIDÃO OU DANOS AO PERCURSO O EVENTO SERÁ ADIADO ATÉ QUE AS CONDIÇÕES SE FAÇAM FAVORÁVEIS. SE AS CONDIÇÕES NÃO SE FIZEREM FAVORÁVEIS DENTRO DO TEMPO DETERMINADO PELO DIRETOR DE PROVA, O EVENTO SERÁ CANCELADO E AS POSIÇÕES SERÃO DEFINIDAS PELA QUALIFICAÇÃO DENTRO DA FASE EM QUE O EVENTO PAROU. O EVENTO SERÁ CANCELADO E AS POSIÇÕES SERÃO DEFINIDAS PELA QUALIFICAÇÃO DE TEMPO DO INÍCIO DO EVENTO, NÃO PREJUDICANDO ASSIM OS ATLETAS QUE NÃO COMPETIRAM ATÉ O INÍCIO DO CANCELAMENTO.

14.5.2. NOS CASOS ONDE SOMENTE NÃO For POSSÍVEL REALIZAR A QUALIFICAÇÃO, O CHAVEAMENTO SERÁ DEFINIDO PELO RANKING DO ANO CORRENTE Ou se ocorrer  nO PRIMEIRO EVENTO DO ANO SERÁ DEFINIDO PELO RANKING DO ANO ANTERIOR.

14.5.3. NOS EVENTOS ONDE NEM A QUALIFICAÇÃO E NEM AS CORRIDAS PUDEREM OCORRER DEVIDO A CONDIÇÕES EXTREMAS DE MAL TEMPO, CATÁSTROFES NATURAIS, ESCURIDÃO OU DANOS AO PERCURSO NÃO HAVERÁ PREMIAÇÃO E NEM SERÃO DISTRIBUÍDOS PONTOS NO RANKING.

14.5.4. PARA O TOTAL CANCELAMENTO DE UM EVENTO O PROMOTOR DEVERÁ COMUNICAR TODOS OS ATLETAS E A CBSK COM PELO MENOS 30 DIAS DE ANTECEDÊNCIA DO EVENTO. COMPETIDORES QUE PAGARAM SUAS INSCRIÇÕES DEVERÃO SER REEMBOLSADOS. SOMENTE EM EVENTOS QUE FOREM CANCELADOS POR CONDIÇÕES EXTREMAS DE MAL TEMPO, CATÁSTROFES NATURAIS, ESCURIDÃO OU DANOS AO PERCURSO ESTARÃO LIVRES DESTA POLÍTICA.

15. BANDEIRAS:

15.1.VERDE: PERCURSO LIVRE SIGA EM FRENTE.

15.2.AMARELA: CUIDADO, REVEJA SUA POSIÇÃO. NÃO ULTRAPASSE. PROCURE NÃO ULTRAPASSAR EM CONDIÇÕES DE BANDEIRA AMARELA. ULTRAPASSAGENS FEITAS NESTAS CONDIÇÕES ESTÃO SUJEITAS À DESCLASSIFICAÇÃO DO ATLETA.

15.3.VERMELHA: PARE IMEDIATAMENTE E NÃO CONTINUE SUA VOLTA. AGUARDE LIBERAÇÃO DA PISTA PELA ORGANIZAÇÃO.

16. REGULAMENTOS DA PROVA:

16.1. CONTATO: O ATLETA QUE TOCAR DELIBERADAMENTE EM OUTRO ATLETA COM O INTUITO DE MODIFICAR SUA VELOCIDADE SERÁ PENALIZADO.

16.2.ULTRAPASSAGENS: O ATLETA QUE ESTIVER ULTRAPASSANDO ASSUME A RESPONSABILIDADE DE EVITAR CONTATOS COM O ATLETA QUE ESTIVER SENDO ULTRAPASSADO. PORÉM DURANTE A ULTRAPASSAGEM O ATLETA QUE ESTIVER NA FRENTE TEM A PRIORIDADE DO TRAJETO. DEPOIS QUE ESTIVER CARACTERIZADO O INÍCIO DA ULTRAPASSAGEM O ATLETA QUE ESTIVER SENDO ULTRAPASSADO DEVERÁ MANTER O CAMINHO LIVRE, CASO CONTRÁRIO SERÁ CARACTERIZADA INTERFERÊNCIA E O ATLETA PODERÁ SER PENALIZADO.

16.3. CONTATO INTENCIONAL: ALGUNS CONTATOS DURANTE A CORRIDA SÃO NATURAIS, SERÃO PERMITIDOS CONTATOS PARA AVISO DE ULTRAPASSAGEM DESDE QUE ESTE NÃO DERRUBE OU INTERFIRA NA VELOCIDADE E TRAJETO DE SEU OPONENTE. INTERFERÊNCIAS INTENCIONAIS SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS, PASSÍVEIS DA DESCLASSIFICAÇÃO DO ATLETA QUE O CAUSAR.

16.4. BLOQUEIO INTENCIONAL: O BLOQUEIO INTENCIONAL DE QUALQUER ATLETA É PROIBIDO.

16.5. LARGADA APÓS QUEDAS: O ATLETA NÃO PODERÁ PERCORRER MAIS DE CINCO 5 M SEM QUE ESTEJA EM CIMA DE SEU EQUIPAMENTO. A CAPTURA DO EQUIPAMENTO DE OUTRO ATLETA QUE PARA PROSSEGUIR A PROVA, OU MESMO DIFICULTAR QUE O OPONENTE CHEGUE A SEU EQUIPAMENTO, SERÁ PASSÍVEL DE DESCLASSIFICAÇÃO DO ATLETA QUE A CAUSAR.

16.6. FINALIZAÇÃODA PROVA:OS ATLETAS DEVERÃO ESTAR EM CONTATO COM O SEU VEÍCULO, NO CASO DO SKATE O ATLETA DEVERÁ ESTAR COM OS DOIS PÉS SOBRE O SKATE, NO CASO DO STREET LUGE E CLASSIC LUGE, O ATLETA DEVERÁ ESTAR NA POSIÇÃO SUPINA (DEITADO DE COSTAS) COM OS PÉS PARA A FRENTE, NO CASO DO STREET SLED O ATLETA DEVERÁ ESTAR NA POSIÇÃO DE BRUÇOS COM A CABEÇA PARA FRENTE, E TERÃO QUE SE DIRIGIR A UM LOCAL SEGURO ASSIM QUE PASSAREM PELA LINHA DE CHEGADA. 

16.6.1. O ATLETA DEVERÁ PERMANECER COM SEU MACACÃO FECHADO E COM SEU CAPACETE APÓS A LINHA DE CHEGADA ATÉ PARAR DE ANDAR, CASO ISSO NÃO ACONTEÇA, o aTLETA pode ser DESCLASSIFICADO DA COMPETIÇÃO.

16.8. COMPROMISSO DE HABILIDADE: NA OPINIÃO DOS FISCAIS DE PROVA O ATLETA QUE NÃO TIVER HABILIDADE SUFICIENTE E QUE COLOQUE EM RISCO SEUS OPONENTES, ASSIM COMO OS QUE ESTIVEREM SOBRE EFEITOS DE ÁLCOOL, DROGAS OU DISTÚRBIOS NERVOSOS, NÃO PODERÃO CONTINUAR NO EVENTO.

17. REGULAMENTOS GERAIS

17.1.HORÁRIOS DE BATERIAS: OS ATLETAS QUE NÃO COMPARECEREM AS SUAS BATERIAS ESTARÃO DESCLASSIFICADOS. O HORÁRIO PRÉ-DETERMINADO PARA QUE OCORRAM AS BATERIAS PODERÁ SER ALTERADO DE ACORDO COM A DIREÇÃO DE PROVA, EM DECORRÊNCIA DE ACIDENTES NA PISTA DE COMPETIÇÃO, ORGANIZAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA DA PISTA (FENOS, DEFENSAS, TENDAS, ETC...). PORTANTO O ATLETA DEVERÁ  ficar atento aos horarios comunicados pela organiação.

17.3. EM TODO O TEMPO DE DURAÇÃO DO EVENTO, SE O ATLETA FOR PEGO INGERINDO BEBIDAS ALCOÓLICAS, FAZENDO USO DE DROGAS ILÍCITAS, E OUTROS ILÍCITOS, E ESSES COMPROVADOS, O ATLETA SERÁ AUTOMATICAMENTE DESCLASSIFICADO DA COMPETIÇÃO, PERDENDO A PONTUAÇÃO e POSIÇÃO NO RANKING ADQUIRIDA NO EVENTO, E BANIDO DE TODO O RESTANTE DO CIRCUITO POR UM ANO.

17.4.QUALQUER ATITUDE DO ATLETA QUE IMPEÇA O BOM ANDAMENTO DO EVENTO SERÁ PENALIZADA. A PENALIDADE A SER APLICADA SERÁ DECIDIDA PELA ORGANIZAÇÃO, ELA PODE VARIAR DA EXCLUSÃO DO EVENTO ATÉ A PROIBIÇÃO DA PARTICIPAÇÃO DESTE ATLETA EM FUTUROS EVENTOS:

17.4.1. AVISO VERBAL

17.4.2. PERDA DE POSIÇÕES NO EVENTO OU NO RANKING

17.4.3. DESQUALIFICAÇÃO DA PROVA

17.4.4. DESQUALIFICAÇÃO DE QUALQUER EVENTO FUTURO

17.6. CHUVA: OS ATLETAS PODERÃO TER CONTROLE DE SEU EQUIPAMENTO FAÇA CHUVA OU FAÇA SOL. O DIRETOR DE PROVA DEVERÁ POR OPÇÃO dESIGNAR QUE A CORRIDA CONTINUARÁ EM TERRENO MOLHADO. TODAS AS CATEGORIAS PODERÃO SER REALIZADAS EM PISO MOLHADO.

18. CATEGORIAS: (VÁLIDA A IDADE QUE ELE IRÁ COMPLETAR NO ANO DA COMPETIÇÃO)

18.1. FEMININO INFANTIL: MENINAS COM ATÉ 10 ANOS DE IDADE.

18.2. FEMININO 2: (MENINAS INDEPENDENTE DE SUA IDADE E QUE PODEM COMPETIR NESTA CATEGORIA POR ATÉ 2 ANOS)

18.3. FEMININO 1: (MENINAS INDEPENDENTE DE SUA IDADE E QUE COMPETIRAM POR MAIS DE 2 ANOS NO FEMININO 2)

18.4. INFANTIL: MENINOS COM ATÉ 10 ANOS DE IDADE, OU ATÉ 5 ANOS COMPETINDO NESTA CATEGORIA.

18.5. MIRIM: MENINOS COM ENTRE 11 E 13 ANOS DE IDADE, OU COM NO MÁXIMO 3 ANOS DE PARTICIPAÇÃO NESTA CATEGORIA.

18.6. INICIANTE: PODEM PARTICIPAR DESTA CATEGORIA pessoas com mais de 18 anos.

NESTA CATEGORIA.

18.7.AMADOR: Homens e mulheres com idades superiores a 18anos e que já tenham pelo menos 1 ano de corridas nacionais.

18.9. FEMININO MASTER (MULHERES 30 ANOS DE IDADE OU MAIS)

18.10. MASTER: HOMENS E MULHERES ENTRE 35 E 39 ANOS DE IDADE.

18.11. GRAND MASTER: HOMENS E MULHERES ENTRE 40 E 44 ANOS DE IDADE.

18.12. LEGEND: HOMENS E MULHERES ENTRE 45 E 49 ANOS DE IDADE.

18.13. GRAND LEGEND: HOMENS E MULHERES ENTRE 50 E 54 ANOS DE IDADE.

18.14. VINTAGE: HOMENS E MULHERES 55 OU MAIS ANOS DE IDADE.

18.15. FEMININO PROFISSIONAL: Mulheres com idade superior a 18 anos

18.16. PROFISSIONAL: (HOMENS E MULHERES APROVADOS PELO COMITÊ DE PROFISSIONAIS DE SUA MODALIDADE OU PROFISSIONALIZADOs com idade superior a 18 anos.

18.17. PRÓ MASTER: (HOMENS E MULHERES ENTRE 41 E 45 ANOS DE IDADE APROVADOS PELO COMITÊ DE PROFISSIONAIS DE SUA MODALIDADE OU PROFISSIONALIZADOS ANTES DE 1999)

18.18. PRÓ LEGEND: (HOMENS E MULHERES COM 46 ANOS DE IDADE OU MAIS, APROVADOS PELO COMITÊ DE PROFISSIONAIS DE SUA MODALIDADE OU PROFISSIONALIZADOS ANTES DE 1999)

21. O RESULTADO DE CADA COMPETIÇÃO PONTUA O ATLETA DA SEGUINTE FORMA:

21.1.02 ESTRELAS:

21.1.1. 700 PONTOS PARA O CAMPEÃO, 665 (95% DOS PONTOS DO CAMPEÃO) PARA O VICE, 632 (95% DOS PONTOS DO VICE) PARA O TERCEIRO E ASSIM POR DIANTE ATÉ O ÚLTIMO COLOCADO

21.2.03 ESTRELAS:

21.2.1. 800 PONTOS PARA O CAMPEÃO, 760 (95% DOS PONTOS DO CAMPEÃO) PARA O VICE, 722 (95% DOS PONTOS DO VICE) PARA O TERCEIRO E ASSIM POR DIANTE ATÉ O ÚLTIMO COLOCADO

21.3.04 ESTRELAS:

21.3.1. 900 PONTOS PARA O CAMPEÃO, 855 (95% DOS PONTOS DO CAMPEÃO) PARA O VICE, 812 (95% DOS PONTOS DO VICE) PARA O TERCEIRO E ASSIM POR DIANTE ATÉ O ÚLTIMO COLOCADO

21.4.05 ESTRELAS:

21.4.1. 1000 PONTOS PARA O CAMPEÃO, 950 (95% DOS PONTOS DO CAMPEÃO) PARA O VICE, 903 (95% DOS PONTOS DO VICE) PARA O TERCEIRO E ASSIM POR DIANTE ATÉ O ÚLTIMO COLOCADO

21.5.AMADOR:

21.6. 700 PONTOS PARA O CAMPEÃO, 665 (95% DOS PONTOS DO CAMPEÃO) PARA O VICE, 632 (95% DOS PONTOS DO VICE) PARA O TERCEIRO E ASSIM POR DIANTE ATÉ O ÚLTIMO COLOCADO

22. DESCARTE DE PONTUAÇÃO:

22.1. EM UMA TEMPORADA COM TRÊS (3) OU MENOS EVENTOS NÃO HAVERÁ DESCARTE DE PONTUAÇÃO.

22.2. EM TEMPORADAS COM QUATRO (4) OU MAIS EVENTOS O ATLETA PODE DESCARTAR A PONTUAÇÃO DE 25% DO TOTAL DOS EVENTOS DO ANO. CASO O RESULTADO DESTE DESCARTE NÃO SEJA UM NÚMERO EXATO HAVERÁ UM AJUSTE PARA CIMA.

22.3. POR EXEMPLO, UMA TEMPORADA COM QUATRO (4) EVENTOS O ATLETA PODE DESCARTAR 25% VALENDO ASSIM OS TRÊS (3) MELHORES RESULTADOS. EM UMA TEMPORADA COM 8 EVENTOS VALERIAM APENAS OS 6 MELHORES RESULTADOS. JÁ EM UMA TEMPORADA COM SETE (07) EVENTOS VALERIAM APENAS OS 5,25 MELHORES RESULTADOS E COM ISSO ARREDONDAMOS PARA OS 6 MELHORES RESULTADOS.




apoios